Windows 10 de graça? Não, obrigado

outubro 11, 2014 § Deixe um comentário

Olá a todos, como vão?

Muitos de vocês sabem que a Microsoft divulgou recentemente o Windows 10, sim do 8.1 pulou para o Windows 10, e os usuários da MS ficaram felizes com as “novidades”. O grande destaque da apresentação foi a volta de um recurso que eles removeram e praticamente todos os usuários habituados a um Menu Iniciar reclamaram da remoção e voltaram a ficar felizes porque a Microsoft reconheceu seu erro e escutou a comunidade. Será? Uma outra coisa que foi amplamente divulgado foi a possibilidade de você tem múltiplas áreas de trabalho, algo realmente inovador não é? Não! Esse recurso já existe e é utilizado faz tempo por pessoas que utilizam o GNU/Linux.

Porém o que mais me preocupa nesta versão é a alegria que as pessoas ficaram ao ler/escutar “O Windows 10 será de graça”. Ai você pensa que a Microsoft está pondo fim a pirataria que sofre em seus Sistemas Operacionais e agora não existem mais razão de usar GNU/Linux porque ele também é de graça e ponto final. Irei explicar porque este pensamento é errado abaixo.

Talvez você não sabia, mas uma das coisas que muito se falava para se adotar o GNU/Linux é que ele era de graça e economicamente era muito mais viável que Software Proprietário porque reduziria custos e o dinheiro economizado poderia ser gasto com outras coisas e etc. Porém além de ser gratuito o GNU/Linux respeita e segui premissas que o impedem de te vigiar, coletar, armazenar seus dados, compartilhar seus dados e por ai vai. As Políticas de Privacidade do Windows 10 deixam bem claro o que eles querem do usuário coisas que os mesmo sequer sabem que são coletadas, pois grande maioria utiliza o Sistema Operacional sem ler as condições de uso e acabam sendo vítimas sem saber de espionagem, coleta massiva de informações que o usuário sequer faz ideias que são coletas sem saber como são armazenadas, onde e quem tem acesso a elas e por quanto tempo isso fica armazenado. Isso nunca é divulgado ou esclarecido pela Microsoft, e você já se perguntou o por que?

Nos dados que eles coletam são destacados quatro pontos que são:

1. instala o Programa, podemos coletar informações sobre seu dispositivo e aplicativos e usá-las para fins como determinar ou melhorar a compatibilidade,

2. usa recursos de entrada de voz como de fala para texto, podemos coletar informações de voz e usá-las para propósitos como de melhorar o processamento da fala,

3. abre um arquivo, podemos coletar informações sobre o arquivo, o aplicativo usado para abrir o arquivo e quanto tempo ele é usado para fins de melhorar o desempenho, ou

4. digita texto, podemos coletar os caracteres digitados e usá-los para fins de melhorar os recursos de preenchimento automático e correção ortográfica.

Leia atentamente, eles utilizar a palavra podemos do verbo vou fazer mesmo você querendo ou não e vão capturar absolutamente tudo o que você faz com o computador. Você é obrigado a ceder, não existe a opção de não enviar absolutamente nada ou saber o que está sendo capturado ou não, a Microsoft simplesmente coleta e pronto.

O que você digita, o que você fala, o que você abre, seja ele um programa ou site da internet, é coletado para fins de melhoras que também não são totalmente especificados pela empresa. Ao utilizar o sistema de graça você abre mão completa de sua privacidade e de seus dados sem saber o real motivo dessa coleta. Já foi dito pelo Snowden que a Microsoft é conivente com o Governo dos Estados Unidos e a NSA então certamente a mesma sede a pressões por entregar informações de terceiros para ambos.

Fica um fragmento da parte que trata de Manipulação de Dados que a Microsoft informa ao usuário ao concordar com suas condições.

A Microsoft pode reter algumas informações pessoais por uma variedade de motivos, como para atender às nossas obrigações legais, resolver disputas e reforçar nossos acordos.

Você sabe quais motivos vão levá-la a fazer tal atitude? Saberá quais informações serão retidas? Quais obrigações legais são necessárias para reter informações? Faça apenas essas perguntas e veja se vale a pena usar um Sistema Operacional que é de graça e que você tenha que está de “acordo”com tudo isso.

Se você não quer correr esses riscos escolha uma distribuição GNU/Linux e seja feliz!

Até a próxima!

Ser livre não custa nada, é de graça

agosto 14, 2014 § 2 Comentários

Olá piratas da internet, tudo bom com vocês?

O post de hoje é sobre essa mudança, radical para alguns, de utilização de programas. Como eu falei no post anterior existem ferramentas que você pode usar sem pagar nada e pode também fugir da obsolescência programada que alguns fabricantes de software fazem.

A principal mudança é o Sistema Operacional, porque no mundo GNU/Linux o que não falta é opção para se instalar em sua máquina. Uma coisa bastante comum que observo em iniciantes é informar o seu hardware e perguntar qual a melhor opção para instalar em sua máquina e se EU uso arch linux, ubuntu ou debian vou acabar falando o que uso, por questões de facilidades pessoal ou afinidade e isso é um ponto negativo. Negativo mandar uma pessoa usar uma distribuição GNU/Linux? Calma que explico :).

Um novato ou usuário recente no mundo GNU/Linux geralmente é direcionado através de pessoas “experientes” e costumam fazer, instalar e testar coisas que outras pessoas as indicam sem ter conhecimento do que se trata e/ou conhecimento das filosofias que as distribuições possuem e acabam tendo dificuldades no inicio de sua caminhada no mundo GNU/Linux. A minha indicação é fornecer links ou explicar o motivo de está indicando a distribuição X e apresentar detalhes de como é o funcionamento da mesma e não fala uma resposta simples achando e/ou querendo que o usuário entenda perfeitamente o que está falando, pois se você o direcionar de forma correta ele não somente se consolida na utilização do Gnu/Linux como também pode convidar outras pessoas para usarem.

Eu não irei entrar em muitos detalhes de como é o funcionamento das ferramentas senão o texto será muito longo e cansativo de se ler, irei comentar ferramentas nas quais você pode ter um sistema funcional e fazer o que um usuário comum costumava fazer em seu sistema que provavelmente era pirata.

Uma das principais desculpas, reclamações e piadinhas de pessoas que não migram para o GNU/Linux por muito anos foi por causa dos jogos. E mesmo com a Steam com um catalogo de mais de 500 jogos algumas pessoas desinformadas insistem em falar que o GNU/Linux não é uma plataforma de jogos. As Steam Machines rodam exclusivamente GNU/Linux e mesmo assim existem pessoas que insistem que a única plataforma para jogo no PC é Windows.

Uma outra dependência e um dos softwares mais pirateadas que já vi é a plataforma de escritório da Microsoft. Escutamos desde sempre que é a melhor plataforma para se digitar texto, fazer planilhas e apresentações e por conta disso acabamos replicando isso sem ao menos saber que existe uma alternativa livre e gratuita. Estou falando do Libreoffice uma plataforma completa, gratuita e superior com relação a sua principal concorrente. As pessoas não costumam usam pelo simples fatos de estarem acostumadas com o pacote office e por conta disso algumas até pirateiam através do PlayonLinux o software proprietário no GNU/Linux. Você tem uma alternativa que não irá gastar nada e insiste em piratear mesmo assim? É hora de mudar, e mudar para melhor.

Navegador indico o Firefox, pois eu duvido que você consiga utilizar o Internet Explore com 20 abas abertas sem travar todo o seu computador. O firefox é gratuito, livre e tem desempenho superior ao navegador padrão do sistema proprietário. Para assistir vídeos temos o vlc um player de música/vídeo que simplesmente toca absolutamente tudo sem grandes problemas.

Para leitura de e-mail temos o excelente e gratuito ThunderBird, desta forma você não tem a necessidade de está sempre abrindo seu navegador para verificar se tem novos e-mails. Para armazenamento na nuvem você pode criar e disponibilizar um servidor usando o Owncloud e não ficar dependente de serviços como Dropbox, OneDrive e etc.

Para gravação de CD/DVD você pode utilizar o Brasero ou K3b para gravar suas mídias ou seus backups sem a necessidade de fazer a compra do software para tal. Para fazer buscar e evitar o rastreamento temos o duckduckgo que é um excelente buscador. Caso tenha alguma dúvida na utilização da sua distribuição ou queira conversar com pessoas que utilizam a mesma distribuição que você temos a Freenode que é uma rede IRC que hospeda a maioria dos canais de distribuição e projetos open-source. Não tem existe a necessidade de utilizar software trial no GNU/Linux, para isso basta usar o pidgin, BitlBee.

Viu como tem alternativas?! Agora só depende de você fazer as mudanças e ser uma pessoa livre, poder instalar, copiar esses softwares em quantos computadores quiser sem se preocupar com chaves, atualizações e pirataria.

Ser livre não custa nada, só depende de você.

Porque eu não pirateio mais software

agosto 8, 2014 § Deixe um comentário

Olá tudo bom com vocês?

Esse post é um relato pessoal de quando eu percebi que não havia mais necessidade algum de piratear software para fazer coisas de minha rotina. Você é livre para concordar, ou relatar a sua opinião sendo ela contrária a minha ou não.

Então, de antemão eu aviso que não faço uso mais do sistema operacional Windows em minhas máquinas, sim, eu tenho uma licença para Windows 7 Professional e uma para o Windows 8 ( que misteriosamente não funciona) que me foi cedida pela HP na época que era um voluntário reconhecido por eles digamos assim.

Então, atualmente é totalmente possível viver sem o Windows, você pode instalar em sua máquina o GNU/Linux, BSD ou comprar uma máquina com OS X. Ah.. só que OS X é caro, é proprietário e não tenho dinheiro e blá blá. Eu não estou falando se é caro ou barato, estou falando de não piratear software e sei que você também poderia comprar uma licença Windows, mas convenhamos que uma pessoa ao falar que vai fazer isso é totalmente recriminada e irei falar o porque de eu achar isso uma idiotice.

Tenho observado com uma certa frequência no Facebook e até na Universidade que estudo que é muito comum as pessoas se acharem no direito de piratear software, mesmo existindo alternativas de qualidade igual ou superior. Eu acho isso realmente triste e péssimo para um profissional achar comum e falar abertamente que pirateia software X e que se exploda a empresa que já é rica e outros argumentos sem fundamentos.

Indague está pessoa para que ela compre a licença, ela irá resmungar algumas coisas e falar que pirateia e pronto. Ou pior, tenta algum comparativo sem nexo para ela se justificar e se enganar que está no seu direito de piratear mesmo. Coisa é pior é você apresentar alternativas ao que ela utiliza, seja ela online ou gratuita, a mesma vai ignorar completamente o fato e vai achar mais simples continuar pirateando do que aprender algo ou utilizar ferramentas livres ou pagar, porque sempre existe essa opção caso você queira usar algo pago não é?

Atualmente é possível utilizar várias ferramentas sem gastar nada, se você é estudante e não tem renda para gastar com software. Meu caro, se você é da área de informática e tem essa mentalidade de piratear quando o Senhor for trabalhar em uma empresa e ver que ela segue diretrizes e que gasta dinheiro com licenças certamente o seu comportamento não será aprovado e sua duração nela será bem curta.

Imagino eu que você não queira gastar com software, porque acha isso coisa de idiota, ou que não tem dinheiro e quer usufruir de tudo aquilo que costuma fazer em seu sistema pirata basta uma simples pesquisa no google ou no duckduckgo que vai encontrar ferramentas até proprietárias para utilizar de forma gratuita.

Você não nasceu sabendo nada, saia da sua zona de conforto e mude o seu comportamento e experimente coisas novas. Não é porque todo mundo usa isso ou tem um comportamento que você precisa ter, comece com pequenos passos, não precisa fazer uma mudança radical porque pode acabar se assustando e criando repulsa ao novo. Procure ajuda, se informe que certamente você pode modificar esse comportamento. Abrir uma aba além do facebook pode ser um bom começo!

Em um outro post irei falar sobre como é ter um computador sem gastar nada. Bom né? Aguardem..

Até a próxima

Instalando archlinux 2014.06.01 no HP dm4-2065br via wireless

agosto 4, 2014 § Deixe um comentário

Olá a todos, como vão?

E mais uma vez aqui estou eu para falar de instalação de arch linux.. sim, novamente :)

Se você for montar o pendrive no Windows utilize o programa Win 32 DiskImager, ele é bem tranquilo de se usar. Se estiver no Linux pode usar o comando dd ou o unetbootin.

Lembrando que essa instalação vai ser feita toda via wireless, porque o pessoal tem a boa mania de apenas explicar em ethernet e apenas citar o modo wireless que é MUITO simples de configurar.

Caso você queira fazer a instalação usando o teclado em layout pt_br basta digitar loadkeys br-abnt2

ps: Isso é apenas para a instalação OK?

Deu o boot e está na linda tela preta sem internet não é? Então vamos descobrir o seu dispositivo wireless.

Digite o comando iw dev e irá ser mostrado a interface da sua placa.

Feito isso digite wifi-menu INTERFACE e certamente vai aparecer o nome de sua rede wireless. Basta selecionar, colocar o nome/password e pronto. Sim, apenas isso e você tem wireless para fazer a instalação.

Vamos particionar o HD?

Digite fdisk -l que ele vai te mostrar o seu HD e o seu pendrive que está fazendo a instalação. Preste atenção para não selecionar a parte errada, se o seu HD tiver um outro sistema, para não se cagar todo.

O Básico do básico é você ter uma partição / e uma swap. AH… eu quero uma /home e uma /boot e etc. Cara, isso aqui é para iniciantes então se você souber o que está fazendo e quer um sistema todo organizadinho crie. Se não sabe e quer saber basta ler aqui e aprender.

Pronto, você criou a partição raiz e a swap. Agora temos que formatar a raiz e escolher o seu sistema de arquivos e ativar a swap.

Na raiz você vai digitar, se quiser usar o ext4, o comando mkfs.ext4 /dev/sdX e aguarde que se tiver algum problema de bad block irá ser notificado. No swap você vai digitar 1 comando que vai fazer duas coisas, porém pode digitar um de cada vez se quiser.

Digite mkswap /dev/sdX && swapon /dev/sdX . O primeiro comando vai configurar uma área de swap e o segundo vai ativar os arquivos de paginação para swap.

Agora você vai montar a partição criada para instalar as coisas. Digite mount /dev/sdX /mnt

Agora é digitar o comando para fazer a instalação do sistema base, base-devel e o grub-bios. Com um comando você resolve isso, basta digitar pacstrap /mnt base base-devel grub-bios e ao terminar você digita genfstab -p /mnt >> /mnt/etc/fstab que ele vai configurar seu /etc/fstab para montar sua partição.

Agora, para fazermos alterações no sistema que acabamos de instalar vamos utilizar o arch-chroot para isto. Digite arch-chroot /mnt para fazer alterações diretamente na partição que estamos instalando.

Para nomear a sua máquina basta digitar echo NOMELEGAL > /etc/hostname e sua máquina terá um nome, depois se quiser pode modificar fique tranquilo.

Agora vamos editar o hosts que é o local que transforma IP em nome. Caso você queira acessar sua máquina para configurar um web server local por exemplo você pode digitar o nome de sua máquina. Acesse o arquivo /etc/hosts com seu editor preferido e acrescente a direita do nome localhost o nome de sua máquina.

Exemplo simplificado:

Original localhost / Modificado localhost NOMELEGAL

Salve e pronto.

Caso queira deixar seu sistema em pt_br basta você entrar no arquivo /etc/locale.gen e remover o # das seguintes linhas:

#pt_BR.UTF-8 UTF-8
#pt_BR ISO-8859-2

Em seguida você digita locale-gen que a modificação será feita. Agora crie o arquivo /etc/locale.conf e insira o seguinte conteúdo:

LANG=pt_BR.utf-8
LC_COLLATE=C
LC_TIME=pt_BR.utf-8

Digite o comando export LANG=pt_BR.utf-8, pois como o arquivo não existia não surtirá efeito a sua criação sem digitar este comando.

Para preparar o ramdisk inicial digite: mkinitcpio -p linux .

Para instalar o grub 2 basta digitar o seguintes comandos:


grub-install /dev/sda
grub-mkconfig -o /boot/grub/grub.cfg

Antes de terminar instale os pacotes dialog e wpa_supplicant, eles são importantes para configurar sua rede wireless usando o wifi-menu e/ou netctl, pois quando der boot vai voltar a ficar sem internet.

Insira uma senha no seu login root com o comando passwd e digite exit para finalizar o arch-chroot. Depois é desmontar o /mnt com o comando umount /mnt e reniciar.

Pronto, agora tem um archlinux. Só instalar os programas que necessita, você que escolhe e nada além do que deseja é instalado como em outras distribuições.

Até a próxima ;*

Criptografe suas mensagens usando gnuPG

julho 31, 2014 § Deixe um comentário

Olá internet, como estão?

Então.. esse blog que aparentemente estava morto vai voltar a ser utilizado para escrever dicas/opiniões e coisas do gênero.

Hoje eu irei falar um pouco sobre criptografia de e-mail usando o ThunderBird. O ThunderBird serve para você receber seus e-mails sem a necessidade de abrir um navegador para tal, você pode gerenciar sua conta de e-mail, organizar, filtrar e etc como se estivesse no ambiente web.

Vou presumir que você já tem o ThunderBird instalado em sua máquina ok? Ainnn eu não tenho e agora? Procure no google, no fórum de sua distribuição, no vivaolinux que vai encontrar. Certamente terá que digitar apenas um comando para baixar e instalar ele. Feito isso, configure a sua conta, que também é simples, e siga os passos que irei informar.

Vamos falar alguns conceitos para você não ficar totalmente perdido sobre o que vamos falar abaixo.

O que é criptografia?

Criptografia é o estudo dos princípios e técnicas pelas quais a informação pode ser transformada da sua forma original para outra ilegível, de forma que possa ser conhecida apenas por seu destinatário (detentor da “chave secreta”), o que a torna difícil de ser lida por alguém não autorizado.[1]

Então, conforme o conceito diz, a criptografia é o envio/troca de mensagens entre pessoas sendo de conhecimento de quem envia e de quem recebe. Se um terceiro ler está mensagem presume-se que o mesmo não tem autorização para tal.

Porque eu devo criptografar meus e-mails?

Devido ao aumento acelerado de quebras de privacidade, das denúncias feitas pelo Snowden as pessoas começaram a pensar mais sobre como a sua privacidade é ferida por cada serviço que costuma utilizar. Para grupos coletivos, ativistas, denunciantes a troca de informação de forma segura é um diferencial necessário, pois os intrusos utilizam de todas as ferramentas disponíveis para vigiar as pessoas que eles intitulam perigosas.

O que é GnuPG?

É uma aplicação de criptografia que criptografa as mensagens utilizando a criptografia de chaves assimétricas. O resultado é que chaves públicas podem ser trocadas com outros usuários de várias maneiras, uma delas são os servidores de chaves. As chaves devem sempre ser trocadas com cuidado para evitar o roubo de identidade.

Sim, falou e falou e até agora nada… Então vamos lá!

Abra o seu ThunderBird e vá na opção Ferramentas e depois em Complementos. Selecione Extenções e pesquise por Enigmail e instale e siga os passos padrões.

Terminou? Reinicie seu ThunderBird.

Criação das Chaves

No ThunderBird vá na opção OpenPGP depois Assistente de Configuração. Na tela Assinatura selecione Não, eu quero criar regras por destinatário especificando quais mensagens precisam ser assinadas. Em seguida utilize as opções padrões até chegar na tela Criar Chave.

Escolha uma senha forte de 12 caracteres no mínimo. Feito isso irá aparecer uma tela de confirmação do OpenGPG, selecione Gerar Certificado e salve em um local do seu computador. Você pode posteriormente salvar esse certificado na nuvem, em um CD, pendrive para caso tenha algum problema com sua chave, roubo por exemplo, você pode revogar sua chave :)

Agora vamos subir sua chave recém criado para o Servidor de Chaves “KeyServer“. No menu do ThunderBird escolha OpenPGP e em seguida Gerenciamento de Chaves OpenPGP. Clique com o botão direito sobre sua chave e escolha a opção Enviar Chaves Públicas para Servidor de Chaves e não existe necessidade de modificar o servidor padrão de chaves.

Rede de Confiança

A Rede de Confiança nada mais é uma rede na qual as pessoas sabem quem são as donas das chaves, pois uma pessoa má intencionada pode criar um e-mail parecido ou tentar se passar por você utilizando novas chaves para tentar se comunicar com você.

Quando você assina a chave de alguém, está dizendo publicamente que confia que a chave pertence mesmo a essa pessoa e não a um impostor. Pessoas que usam sua chave pública podem ver o número de assinaturas que ela tem. Quando já tiver usado o GnuPG por algum tempo, sua chave pode ter centenas de assinaturas. A Rede de Confiança é uma constelação de todas as pessoas que usam o GnuPG, conectadas umas às outras por correntes de confiança expressadas através de assinaturas, formando uma rede gigante. Quanto mais assinaturas uma chave tiver, e quanto mais assinaturas essas pessoas que assinaram tiverem, mais confiável é essa chave.“[3]

Para assinar uma Chave é simples, basta ir no menu OpenPGP e depois em Gerenciamento de Chaves OpenGPG. Dê dois cliques na chave que deseja assinar e em seguida selecione Assinar Chaves no menu Selecionar Ação. Apareça um menu, selecione a opção Não irei responder e clique em OK.

No menu do ThunderBird novamente seleciona OpenPGP e selecione Gerenciamento de Chaves OpenPGP depois Servidor de Chaves e em seguida Enviar Chaves Públicas e clique em OK.

Antes de assinar uma chave é bastante importante que tenha certeza que está assinando uma chave verdadeira, certifique-se que a pessoa é detentora daquela chave. Quanto mais uma pessoa ou você tiver assinatura demonstra que você é detentora da chave e não exige maiores esforços para verificar que é dona da chave.

Uma dica, antes de enviar uma mensagem criptografada ative a criptografia, é uma chave que está cinza quando desativada ao clicar fica AMARELA, para que o servidor de e-mail não sabe um rascunho da mensagem que está enviando. O assunto do e-mail não é criptografado, então seja discreto e imparcial ao preencher esse campo ao enviar um e-mail.

Este artigo foi baseado nesse link, para maiores informações você pode acessá-lo e se informar com maiores detalhes.

Espero que tenham gostado e até a próxima. O uso da criptografia é importante, troquem sua chaves e caso tenha alguma mensagem que não queira que seja lida criptografe!

Até a próxima :D

[1] – http://pt.wikipedia.org/wiki/Criptografia
[2] – http://pt.wikipedia.org/wiki/Gnupg
[3] – https://emailselfdefense.fsf.org/pt-br/index.html

Porque o Expresso Livre é uma peneira contra a espionagem da NSA

fevereiro 14, 2014 § 1 comentário

Olá a todos, como vão?

Antes de mais nada o texto abaixo representa uma opinião MINHA, uma visão MINHA. Se você não concorda, você é totalmente livre para expor suas opiniões me ofendendo ou não, espero que não me ofenda rs, e realmente eu gostaria de saber sua opinião sobre este assunto.

Com as acusações do Snowden sobre a espionagem feita pela NSA o Governo Brasileiro ficou totalmente desorientado e ofendido pela espionagem sofrida pelo EUA. A Presidenta pediu explicações ao Obama sobre o ocorrido e até o momento nada foi esclarecido realmente. Com isso, começou uma preocupação sobre a espionagem, agora explicita, sofrida pelo EUA.

Falou-se sobre a soberania, sobre crime e ninguém foi culpado ou assumiu a culpa do ocorrido, então o Governo Brasileiro para não “sair por baixo” iniciou sua empreitada por políticas de segurança e privacidade. Como as denuncias informaram que ocorreu a quebra no sigilo do e-mail da Presidenta a mesma exigiu medidas de comunicação mais seguras. Ai vos apresento a SERPRO.

A SERPRO tem uma projeto de e-mail Expresso Livre totalmente “esquecido” e “mal configurado”. O sistema de e-mail não tinha uma utilidade propriamente dita, foi feito e era usado por uma pequena parcela do Governo. Aproveitando o “ranço” de quebra de privacidade e glamour por uma comunicação segurança a SERPRO então decidiu fazer uma atualização do seu sistema de e-mail, a V3, atendendo todos os requisitos para a Presidenta poder ver seus Power Point animados em paz.

Sim, é uma medida louvável e “correta” tendo em vista as acusações feitas pelo Snowden porém a mentalidade do Governo ainda está errada, e vou dizer o motivo. Não adianta o Governo Federal ficar falando que vai usar Software Livre para se prevenir contra espionagem se os demais estados estão na contramão. A mentalidade sobre Software Livre que o Governo tem é totalmente errada e tonta. Software Livre só é lembrado para cortas custos e se livrar de espionagem? Não! Tem-se que implantar a filosofia do Software Livre em todas as esferas do país, chamar os hackers do país para construir um sistema seguro, confiável e colaborativo. Não podemos ter atitudes como Governador do Paraná que entregou o estado para a empresa que está diretamente ligada a espionagem feita pela NSA.

Não podemos ver isso, isso e isto e reclamarmos ou ficarmos surpresos que estamos sendo vigiados, e o pior, pagando para sermos vigiados e pagando muito caro!!

Usar apenas o Expresso Livre e usar o Windows (aqui, aqui e aqui) não vai mudar em nada a espionagem, temos que implementar o Software Livre de forma real, em todas as esferas, promover treinamentos, oficinas e aproximar os hackers do Governo. Desta forma vamos evitar ser espionados, vamos economizar dinheiro público, não vamos ficar presos a políticas de Uso abusivas e protegeremos nossas informações não porque queremos esconder, e sim porque é nossa!

Até a próxima ;-)

Tor Browser

dezembro 18, 2013 § 3 Comentários

Olaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaá INTERNET!

Como vão, tudo bem?

Então, hoje eu irei informar como instalar o Tor browser. Então, os códigos que irei informar abaixo vão servir para distribuições .deb, ex: Ubuntu, Debian, Mint, Elementary OS e etc.

Ué, e porque não vai ensinar para instalar no archlinux? Tenha calma jovem..

Pois bem, abre seu terminal e digite os seguintes comandos:

$ sudo add-apt-repository ppa:upubuntu-com/tor ( Isso aqui vai adicionar o repositório para baixar o tor browser)

$ sudo apt-get update (atualizar os repositórios)

$ sudo apt-get install tor-browser (instala o tor browser)

Eu uso um sistema 64 bits, é a mesma coisa?

Claro que NÃO! :-)

A ÚNICA diferença que vai fazer é no primeiro comando que será:

$ sudo add-apt-repository ppa:upubuntu-com/tor64

Agora que instalou posso entrar na deep web e virar hacker? Calma, ainda não.

Agora basta modificar a permissão para seu usuário com o seguinte comando:

$ sudo chown $USER -Rv /usr/bin/tor-browser/

Feito isso basta abrir seu tor e conectar!

E no archlinux?

Simples! Só utilizar o yaourt baixando o pacote tor-browser-en ou compilar na mão!

Até a próxima!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.027 outros seguidores